( ! ) Warning: Error while sending QUERY packet. PID=11539 in /apps/agracadaquimica/wp-includes/wp-db.php on line 1942
Call Stack
#TimeMemoryFunctionLocation
10.0002234752{main}( ).../index.php:0
20.0003237536require( '/apps/agracadaquimica/wp-blog-header.php' ).../index.php:17
31.205642669304wp( ).../wp-blog-header.php:16
41.205642669568WP->main( ).../functions.php:955
51.205742671040WP->parse_request( ).../class-wp.php:733
61.206342708112get_page_by_path( ).../class-wp.php:236
71.206842711552wpdb->get_results( ).../post.php:4269
81.206842710528wpdb->query( ).../wp-db.php:2511
91.206942710656wpdb->_do_query( ).../wp-db.php:1830
101.206942710704mysqli_query ( ).../wp-db.php:1942
Água dura? | A Graça da Química
« »

A água é conhecida como solvente universal por dissolver com facilidade muitos compostos, inorgânicos e orgânicos.
A chamada água natural, que chega em nossas torneiras é na realidade uma solução que contém muitos minerais, que foram dissolvidos durante a sua passagem pelo solo. Essas substâncias, geralmente sais, por estarem presentes em pequenas quantidades, não são prejudiciais aos usos domésticos da água.
Entretanto, em certos lugares, a água destinada ao consumo contém certos sais nela dissolvidos com a desagradável característica de evitar a formação de espuma, quando a ela se adiciona sabão. Essa água é chamada água dura e dureza sua característica de não formar espuma. Não formar espuma, em princípio significa não dissolver o sabão, isto é, não servir adequadamente para a limpeza. Hoje em dia há uma comercialização de detergentes que prometem não formar muita espuma, o que seria um prejuízo, mas isto não tem nada a ver com dureza, e sim com aditivos que controlam a quantidade de espuma, além do que sabões e detergentes possuem fórmulas químicas diferentes, e seus processos de limpeza também são diferentes.
Podemos verificar quais os sais que provocam dureza na água através de um experimento bem simples:

Material necessário: Solução de sabão ou sabonete, feita com 10g de sabão comum, de coco ou sabonete, em 1 litro de água destilada. Tubos de ensaio de 10 x 16 mm. Amostras de: cloreto de sódio, cloreto de cálcio, cloreto de magnésio, nitrato de potássio, sulfato de sódio, sulfato de ferro (II), sulfato de magnésio.

Procedimento: Colocar em cada um dos tubos de ensaio cerca de 2 ml de água destilada. Numerar os tubos de 1 a 7. Adicionar a cada um deles, separadamente: Tubo 1: 20 mg de cloreto de sódio. Tubo 2: 20 mg de cloreto de magnésio. Tubo 3: 20 mg de nitrato de potássio. Tubo 4: 20 mg de sulfato de sódio. Tubo 5: 20 mg de sulfato de ferro (II). Tubo 6: 20 mg de sulfato de magnésio. Tubo 7: 20 mg de cloreto de cálcio. Agitar cada tubo até dissolver bem o sal. Adicionar a cada tubo o mesmo volume da solução de água com sabão. Agitar bem. Verificar se há ou não formação permanente de espuma. Determinar quais sais e íons são responsáveis pela não-formação de espuma.

Comentários